Home > Blog > Gerenciamento de aplicativos em nuvem: da migração ao monitoramento
Gerenciamento de aplicativos em nuvem: da migração ao monitoramento

Gerenciamento de aplicativos em nuvem: da migração ao monitoramento

O monitoramento de desempenho e as migrações de aplicativos são apenas algumas camadas da “cebola” dos aplicativos em nuvem. E não gerenciá-los de forma eficaz pode deixar o administrador em situações difíceis em seu dia a dia. As empresas que movem aplicativos para a nuvem se tornaram o padrão.

Enquanto os aplicativos engolem espaço de armazenamento e largura de banda em um data center, a nuvem costuma ser uma alternativa mais econômica que elimina servidores pesados. Alguns aplicativos, como e-mail e outras comunicações, podem ser movidos com facilidade. No entanto, a nuvem não é uma plataforma única para todos.

Durante o processo de migração para a nuvem, as empresas precisam ser cautelosas com aplicativos que contêm dados confidenciais. Além disso, os administradores devem garantir que as soluções de negócio tenham um bom desempenho na nuvem da mesma forma que no local.

É preciso ter claro o gerenciamento do ambiente de nuvem ainda na fase de planejamento e migração, o que pode ajudar a manter os custos da nuvem sob controle.

De fato, escolher os aplicativos certos para a nuvem é tão essencial quanto gerenciá-los de maneira adequada quando estiverem em funcionamento. Separamos quatro perguntas importantes a serem feitas, ao mover aplicativos para uma plataforma de nuvem e para garantir o gerenciamento seguro de sua nova arquitetura operacional.

1.  Quais aplicativos são certos para a nuvem?

Determinar quais aplicativos são adequados para a nuvem depende, em última instância, de qual plataforma de nuvem você planeja usar. Para a maior parte, os benefícios da nuvem privada de mais controle e melhor segurança apelam aos administradores que mostram manter aplicativos essenciais para a missão.

Enquanto a nuvem privada mantém os dados no local, isso não garante necessariamente a segurança de seus dados e de ninguém mais. Nuvens híbridas, que combinam o controle da nuvem privada com a capacidade de mover cargas de trabalho “em rajadas” ou sazonais para a nuvem pública conforme necessário, estão ganhando “o amor” das empresas.

Mas quais aplicativos são adequados para a nuvem? Os serviços de comunicação e colaboração são opções sólidas. As empresas costumam mover e-mail e aplicativos colaborativos para a nuvem para economizar custos e concentrar seu tempo e energia de gerenciamento em outros aspectos do negócio, como o desenvolvimento.

2.  Preciso rearquitetar meus aplicativos para a nuvem?

Nem todos os aplicativos são compatíveis com a nuvem logo de cara. As empresas podem precisar refazer a arquitetura de aplicativos legados antes que tenham um desempenho adequado em uma plataforma de nuvem.

A nova arquitetura de aplicativos para a nuvem permitirá que essas empresas aproveitem ao máximo a agilidade, a elasticidade e a escalabilidade da nuvem. A natureza flexível da computação em nuvem pode melhorar o desempenho do aplicativo e o retorno do investimento.

Mas refazer a arquitetura de aplicativos para a nuvem não é um problema. Alguns aplicativos não foram bem projetados desde o início e são mal codificados e instáveis. Freqüentemente, as empresas são forçadas a escrever o código e remodelar o aplicativo para funcionar sem problemas no novo ambiente.

3.  Quais são as chaves para a migração de aplicativos em nuvem?

É fácil entender por que as empresas migram aplicativos para a nuvem. Mas antes de mover um aplicativo, a TI corporativa deve determinar se o aplicativo está pronto para a nuvem.

Para minimizar o risco, escolha eliminar primeiro o mais fácil dos aplicativos, incluindo cargas de trabalho não essenciais. A próxima etapa para uma migração de nuvem bem-sucedida é escolher para onde ela irá. E isso depende, em última análise, do caso de uso dos aplicativos e como os administradores querem estar com ele.

É melhor mover o aplicativo para software como serviço, em que o provedor SaaS hospeda o aplicativo e o administrador tem muito pouco para gerenciar? Ou é um aplicativo voltado para o cliente com tempos de uso cíclicos ou de pico, que pode ir para a nuvem pública para aproveitar sua escalabilidade.

Finalmente, as empresas precisam considerar custos e segurança. A computação em nuvem e as migrações para a nuvem podem prejudicar o orçamento se você não tomar cuidado.

As calculadoras de custo do provedor de nuvem são úteis para determinar os gastos de migração de aplicativos, mas nem sempre são 100% precisas. E todas as empresas devem ter um plano de backup de provedor de nuvem para fornecedores que não correspondam às expectativas.

4.  Como posso monitorar o desempenho dos aplicativos na nuvem?

O monitoramento de desempenho é essencial para qualquer aplicativo em nuvem. O monitoramento contínuo permite que os administradores lidem com quaisquer problemas ou interrupções imediatamente para evitar outros desastres.

Muitos provedores de nuvem pública oferecem suas próprias ferramentas de monitoramento. Esses recursos são uma opção que ajuda os administradores a encontrar problemas de desempenho, além de monitorar a métrica de aplicativos na nuvem.

Na prática, existem também fontes infinitas de ferramentas de monitoramento e gerenciamento de aplicativos de terceiros que selecionam ferramentas ascendentes deixadas de lado. Além das ferramentas de monitoramento, os administradores devem testar regularmente os aplicativos e estudar as tendências de desempenho.

Sobre a Advanced Info

Atuante no mercado de tecnologia desde 1987, a Advanced INFO se posiciona como líder em soluções e Nuvem e Modern Workplace, ajudando empresas de todo tipo e porte a percorrer a jornada de transformação digital para que façam parte da chamada 4ª Revolução Industrial.

Com a certificação Microsoft Gold Partner, nos classificamos como uma das maiores revendedoras da tecnologia da empresa no Brasil, dispondo aos nossos clientes toda a gama de tecnologias presentes na Azure, a plataforma de Nuvem da Microsoft, e na suíte de aplicativos e serviços Office 365.