Home > Blog > Custos de migração da nuvem: o que as empresas precisam considerar ao incluir operações críticas de apoio ao negócio
Custos de migração da nuvem: o que as empresas precisam considerar ao incluir operações críticas de apoio ao negócio

Custos de migração da nuvem: o que as empresas precisam considerar ao incluir operações críticas de apoio ao negócio

A maioria dos CIOs ainda está em processo de migração de cargas de trabalho de data centers locais para ambientes IaaS, seja para se tornar estratégico e tirar a TI do negócio de data center, transferir custos de capital para orçamentos operacionais, minimizar riscos ou melhorar agilidade e escalabilidade.

Seja qual for a motivação, um componente crucial do processo de migração é calcular os custos de computação em nuvem. Mais especificamente, os custos de preparação para a migração, os custos da própria migração para a nuvem e os custos operacionais pós-migração das cargas de trabalho migradas.

Entender esses custos impactam diretamente no sucesso do projeto ao incluir operações críticas de apoio ao negócio, a exemplo do backup e recuperação de dados, segurança e recuperação de desastres e a implementação de novas tecnologias como a Inteligência Artificial.

Isso é crítico porque nenhuma das motivações para migrar uma infraestrutura de negócios para a nuvem é realmente “sem custo”. O benefício comercial desejado é sempre pesado em relação ao custo.

Mesmo quando a liderança decide que não há alternativa aceitável para mudar para a nuvem, eles devem ter uma ideia dos custos de migração para a nuvem a fim de tomar decisões sobre como – e com que rapidez – a mudança pode prosseguir.

Custos de pré-migração: o planejamento é essencial

Os CIOs devem ter uma ideia clara de quanto custará se preparar para a migração para a nuvem. No mínimo, consumirá uma quantidade significativa de tempo da equipe.

As equipes de migração geralmente se concentram em gerentes de serviço e equipe de sistemas, mas irão explorar recursos de armazenamento e engenharia de rede e segurança.

Dependendo do aplicativo dentro de uma organização, a migração também pode exigir a entrada de especialistas em integração, equipes de gerenciamento de risco e equipes de desenvolvimento.

Além do tempo da equipe, os CIOs devem estar preparados para fazer um orçamento para os seguintes custos de migração para nuvem:

  • Contratação ou desenvolvimento de pessoal para preparar funcionários ou serviços profissionais para ajudar a mover um sistema se seus próprios recursos de pessoal forem insuficientes em número ou em conjunto de habilidades.

 

  • Ferramentas de avaliação para identificar interdependências de carga de trabalho.

 

  • Ferramentas de avaliação e provisionamento para determinar como provisionar os componentes de computação, armazenamento, rede e segurança para a carga de trabalho no ambiente de nuvem.

 

  • Novos recursos de gerenciamento que são mais capazes de fornecer informações de status e solução de problemas necessárias para operações em andamento, já que é melhor tê-las à mão para a primeira migração em vez de preenchê-las depois de mover o ambiente de produção.

 

  • Mudanças nos custos de aplicativo e plataforma com base na hospedagem na nuvem, pois os sistemas operacionais, bancos de dados e outros middleware e aplicativos empacotados podem ter termos de licenciamento diferentes quando executados na nuvem do que no local – e pode exigir mais ou menos licenças ao correr na nuvem.

 

  • Adicionar rede de acesso à nuvem do data center para o ambiente de destino – por exemplo, conexão direta ou uma conexão por meio de uma troca na nuvem – antes do início da migração se o período de migração se estender por meses, ou se houver qualquer licença significativa por trás da infraestrutura no data center depois que as migrações forem concluídas.

Custos de migração da nuvem

A migração em si também consumirá tempo da equipe das mesmas pessoas que fazem o planejamento, seja para realizar a migração para a nuvem real ou após o fato para verificar se a migração foi bem-sucedida.

A verificação pós-movimentação será mais demorada nas primeiras vezes. À medida que a equipe ganha experiência e a otimização das configurações e automação é concluída, torna-se mais rara a necessidade de atrair engenheiros de rede para verificar se a carga de trabalho migrada mais recentemente está sendo executada em um ambiente de rede configurado corretamente.

Além do tempo da equipe, as empresas devem planejar um orçamento para os seguintes custos de migração para a nuvem:

  • Gastar dinheiro em sistemas em dois lugares ao mesmo tempo – por exemplo, dando suporte a um farm de VDI local ao mesmo tempo que uma planta de VDI baseada em nuvem, enquanto ainda houver aplicativos locais exigindo acesso VDI ou pagando o custo de plataforma para um grande servidor de aplicativos enquanto os aplicativos migram para fora dele.

 

  • Manutenção de continuidade de negócios e gastos com recuperação de desastres para sistemas locais até bem depois do ambiente de produção mudar para a nuvem.

 

  • Possivelmente precisando de serviços profissionais ou novo software para gerenciar migrações reais.

Pós-migração: estimativa de custos de nuvem

Em média, as empresas que não realizam um planejamento e controle de gastos, gastam cerca de 12% a mais para executar uma carga de trabalho em IaaS do que para executá-la em seu próprio data center.

Essa média engloba tanto as cargas de trabalho nas quais eles conseguem grande economia quanto aquelas nas quais os custos dobram ou triplicam quando comparados ao custo de prestação do próprio serviço.

Quanto mais trabalho é levantado e alterado sem o devido controle, mais provável é que a empresa tenha de fazer um orçamento para aumentos de custos.

Para saber se esperam gastar mais ou menos nos custos de migração da nuvem, os CIOs devem ter uma ideia clara de quanto gastam agora para executar uma determinada carga de trabalho e quanto esse custo diminuirá quando a carga de trabalho for movida.

O principal a ser entendido é que muitos custos atuais não desaparecerão imediatamente. O custo de manutenção, resfriamento e operação de um storage ou servidor não desaparece até que o dispositivo de armazenamento ou equipamento esteja vazio – mesmo que possa cair conforme a utilização diminui. Se os componentes em questão atenderem a muitas cargas de trabalho, isso pode levar meses.

O custo da equipe dedicada ao gerenciamento de matrizes de armazenamento e servidores também permanece até então. Se eles forem responsáveis ​​por outros equipamentos ou storage, esses custos permanecem contínuos até que as cargas de trabalho sejam encerradas.

De fato, o custo de operação do data center só desaparece quando o próprio data center é esvaziado. E as operações na nuvem não são gratuitas, pessoal qualificado ainda é essencial, pois pode haver uma nova gama de ferramentas de provisionamento, gerenciamento e monitoramento.

Os CIOs que desejam planejar uma migração para a nuvem, mesmo que não o estejam fazendo para economizar dinheiro, devem tomar cuidado para modelar os custos da migração para a nuvem, não apenas pelo que vão gastar no próprio ambiente de nuvem, mas também pelo planejamento e fases de migração e todos os custos de operação do ambiente de nuvem depois de estabelecido.

Não fazer isso pode trazer surpresas desagradáveis ​​para o restante da liderança – incluindo o CEO e o CFO.

Sobre a Advanced Info

Atuante no mercado de tecnologia desde 1987, a Advanced INFO se posiciona como líder em soluções e Nuvem e Modern Workplace, ajudando empresas de todo tipo e porte a percorrer a jornada de transformação digital para que façam parte da chamada 4ª Revolução Industrial.

Com a certificação Microsoft Gold Partner, nos classificamos como uma das maiores revendedoras da tecnologia da empresa no Brasil, dispondo aos nossos clientes toda a gama de tecnologias presentes na Azure, a plataforma de Nuvem da Microsoft, e na suíte de aplicativos e serviços Office 365.